06 Abril 2016

Abre em Jerusalém o Terra Sancta Museum – Via Dolorosa

O Convento da Flagelação da Cidade Santa hospeda um novo museu. Peregrinos e visitantes poderão viajar no tempo até a época de Jesus, entre instalações multimediais e vestígios históricos e arqueológicos.

Arqueologia, Cultura, e outras religiõe

Loading the player...
Embed Code  

Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Copy the code below and paste it into your blog or website.
<iframe width="640" height="360" src="https://www.cmc-terrasanta.org/embed/abre-em-jerusalem-o-terra-sancta-museum-via-dolorosa-10636"></iframe>
Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Por favor, envie um email para :
info@cmc-terrasanta.org

Assunto: Pedido de Vídeo de Alta Qualidade

Mensagem:
Arquivo Pessoal / promoção CMC / TV Broadcasting

http://www.cmc-terrasanta.com/pt/video/arqueologia-cultura-e-outras-religioe-8/abre-em-jerusalem-o-terra-sancta-museum-via-dolorosa-10636.html

Nenhuma parte deste vídeo podem ser editadas ou disseminada sem um acordo com antecedência com o Christian Media Center acordarem os termos e condições de publicação e distribuição.
Desde meados de março de 2016 Jerusalém hospeda um novo museu entre os muros da cidade velha, no convento da Flagelação. Chama-se “Terra Sancta Museum – Via Dolorosa” e é a seção multimedial de um projeto ambicioso que visa à realização até 2017 de outras duas áreas: as áreas arqueológica e histórica.

MANUELA PEGORARO
Project Manager Terra Sancta Museum – Via Dolorosa /ATS
“Foi pensado de modo especial para os peregrinos que vêm aqui e querem descobrir o que é a Via Dolorosa, onde se encontra, por que se encontra dentro da atual feira da cidade e através desta instalação multimedial em quinze minutos um peregrino mas também um visitante normal pode entender onde se encontra e onde tudo teve início”

O projeto é promovido pela Custódia Franciscana em colaboração com vários parceiros locais e estrangeiros, com o objetivo de se focalizar a atenção na Terra Santa, nos patrimônios artísticos, religiosos e históricos que ela custodia, começando pelo ponto de partida da via Dolorosa, a via Crucis de Jerusalém.

PE. EUGENIO ALLIATA, ofm
Diretor Museu Arqueológico Studium Biblicum Franciscanum
“Encontramo-nos na área da antiga Torre Antônia, destruída pelos romanos durante a guerra judaica em 70 dC e desde então não voltou a ser reconstruída. Há séculos os peregrinos têm escolhido a Fortaleza Antônia como lugar do pretório. Todos vão a este lugar onde nos encontramos para recordar a condenação de Jesus Cristo, quando Jesus, carregando a cruz, começou sua viagem até o Calvário”.

GABRIELE ALLEVI
Museólogo
O extraordinário é justamente o fato de que o lugar onde realizamos a instalação multimedial também é o lugar onde vieram à luz os vestígios arqueológicos, portanto nós estamos dando início a esta comunicação emocional dentro de um lugar de altíssimo valor histórico e arqueológico.

GIOVANNI TORTELLI
Arquiteto
“Neste lugar o peregrino se dará realmente conta da trajetória e dos passos que a história deu, justamente através dos sinais das pedras colocadas nos pontos salientes deste espaço. E através dos próprios fragmentos das várias arquiteturas, de Herodes a Adriano até a arquitetura cruzada, todos entenderão como se evoluiu a história deste lugar e da cidade.

A experiência que o Museu propõe não fica reservada apenas aos peregrinos: se por um lado oferece aos visitantes a oportunidade de se identificarem com os eventos da paixão, da morte e ressurreição de Jesus, por outro lado oferece uma perspectiva histórica e artística inédita da cidade, também graças a um acurado trabalho de pesquisa e de uso de fontes históricas e literárias.

GABRIELE ALLEVI
Museólogo
Os lugares da devoção cristã são lugares pertencentes por direito à identidade da cidade de Jerusalém. Hoje, para qualquer turista, para qualquer residente, quaisquer que sejam sua religião ou cultura de pertença, estes lugares são parte integrante da sua identidade e portanto acho importante para um residente, um cidadão ou um turista visitar estes lugares conhecendo a origem e a raiz histórica e cultural deles.

A visita, disponível em 8 línguas diferentes, dura 15 minutos e se desenvolve em três fases que misturam a experiência multimedial com a experiência concreta de um sítio arqueológico.

CHARLOTTE TAMSCHICK
Diretor Criativo - Tamschick Media+Space
É uma modalidade muito especial, pois não é a clássica tipologia de museu: há uma combinação de luzes, sons e projeções que ajuda os visitantes a encontrar um modo para conhecer melhor a história e é um tipo de story telling muito emocional”

O museu fica aberto todos os dias das 8h00 até 18h00 no horário de verão. Pode-se reservar através do Franciscan Pilgrims Office ou através do site do museu que é www.terrasanctamuseum.org